fbpx

Novos termos de privacidade do WhatsApp começam a valer; saiba o que muda

Novos termos de privacidade do WhatsApp começam a valer; saiba o que muda

Segundo a plataforma, quem não concordou com os novos termos de uso não terá a conta apagada e o aplicativo vai continuar funcionando por mais 90 dias

Adorado pelo brasileiros, o WhatsApp começou a impor sua nova política de privacidade neste sábado, 15. Após meses de polêmica, entra em vigor o compartilhamento obrigatório de algumas informações do aplicativo com o Facebook,que comprou o WhatsApp por 19 bilhões de dólares em 2014. 

Segundo informações da plataforma, quem não concordou com os novos termos de uso não terá a conta apagada e o aplicativo vai continuar funcionando por mais 90 dias, a partir deste sábado (15). A decisão foi tomada após a empresa receber uma recomendação de quatro órgãos públicos de fiscalização na semana passada.

Neste período de 90 dias após a entrada em vigor da política, a empresa americana assumiu o compromisso de colaborar com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o Ministério Público Federal (MPF), a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) para discutir os pontos de preocupação apresentados por elas. Nesse processo, órgãos devem fazer novas análises e questionamentos. De acordo com nota da ANPD, o WhatsApp se colocou à disposição para “prestar esclarecimentos em relação às recomendações”.

Na semana passada, o WhatsApp informava que ninguém teria as contas excluídas já neste sábado, mas os usuários receberiam “persistentes” avisos e teriam suas funções no aplicativo “gradativamente limitadas”.

A mudança, anunciada em janeiro, gerou um desagrado. Especialistas em privacidade, autoridades regulatórias e até bilionários reclamaram da nova política do WhatsApp, que levou a uma nova onda de usuários procurando serviços concorrentes, como Telegram e Signal — este último indicado até por Elon Musk como uma alternativa.

Afinal, o que muda no WhatsApp? Embora tenha havido alarde sobre a nova política de privacidade, para especialistas não está totalmente claro o que será extraído e compartilhado com as empresas do grupo Facebook, que inclui, além das redes sociais, empresas de análise e monitoramento de comportamento, voltado para marketing digital.

Quais dados são coletados e compatilhados pelo WhatsApp e o Facebook?

As informações que o WhatsApp irá compartilhar com outras empresas do Facebook não incluem o conteúdo das conversas, que têm criptografia ponta a ponta, mas apenas os dados sobre o uso do aplicativo. O conteúdo das mensagens continua protegido, sejam conversas em texto, áudios, fotos, vídeos.

O que será compartilhado são os chamados metadados — os dados sobre os dados. De acordo com Mariana Rielli, líder de projetos da Associação de Pesquisa Data Privacy Brasil, isso inclui informações como:

  • A frequência e tempo de uso do WhatsApp;
  • O horário de uso do aplicativo;
  • O tempo que a pessoa usa o aplicativo;
  • Identificadores do smartphone, como device ID (um identificador único vinculado ao aparelho e que é usado bastante para publicidade digital);
  • O consumo da bateria;
  • Versão do aplicativo utilizada;
  • Idioma;
  • Fuso horário em que a pessoa está.

Quando o WhatsApp é utilizado na versão web, o app coleta ainda os cookies (arquivos que contém dados das páginas que o usuário acessa na internet), qual navegador está sendo utilizado no computador e o endereço IP.

Com o WhatsApp investindo cada vez mais na versão Business, há um interesse maior do Facebook em intermediar pagamentos e compras — e usar as informações que coleta dos usuários para melhorar esse negócio.

Segundo Rielli, boa parte dessas informações já estava sendo coletada desde 2016, quando o WhatsApp fez uma mudança na política de privacidade que também gerou burburinho. “Na época, houve a possibilidade de escolher não compartilhar algumas dessas informações. Essa possibilidade durou 30 dias, e os usuários que perderam essa janela de oportunidade não tinham mais controle sobre o compartilhamento”, diz.

Apesar de a coleta de informações não ser nova, ainda há problemas envolvidos, segundo ela. “Não é por isso que os novos termos de uso não são problemáticos. A grande maioria das pessoas não tinha se tocado que durante todo esse tempo estavam compartilhando esses dados e elas não poderiam tomar atitude de não compartilhar. A nova política evidenciou isso.”

A política também abre a possibilidade de a empresa armazenar dados de conversas em servidores do Facebook, o que reforça o interesse do Facebook em promover o negócio de vendas pelo WhatsApp. No último ano, o aplicativo apresentou uma série de novidades para contas profissionais e ensaiou uma entrada nos meios de pagamento no Brasil — a ferramenta foi barrada pelo Banco Central para a análise.

Fonte: Site https://exame.com/

No Comments

Give a comment

× Vamos Conversar?